Topo

Histórico

Categorias

Como os pais podem fazer com que a criança entenda o ‘não’?

Dr. Sylvio Renan

10/03/2019 04h00

Crédito: imagem via freepik

Imagine a seguinte cena: seu filho pequeno de olho nos belos enfeites de porcelana que decoram a sua sala, pronto para atacá-los. Você apenas olha para ele e diz 'não'. Mas, afinal, será que ele entendeu o que esta palavra significou? Visando ajudar os pais nesta nada fácil tarefa do processo de educação de seus filhos, reuni algumas dicas:

– A palavra não deve ser dita sempre de forma assertiva. Quando você diz não a uma criança isso significa que ela não poderá fazer o que foi proibido. Seja firme em situações realmente necessárias e verifique se a criança obedeceu e se afastou da circunstância que exigiu o 'não';

– A época de compreensão do 'não' é muito individual, dependendo também do comportamento dos pais. No entanto, aos dois anos a criança já tem uma percepção bem definida do sentido da palavra e sabe interpretar os casos em que seus pais a utilizaram adequadamente, como um aviso de que algo está incorreto;

– O 'não' deve ser sempre cumprido para que a criança compreenda mais rapidamente seu sentido;

– O 'não' deve ser dito normalmente, sem necessidade de gritos ou fortalecimento da voz. Se a criança já compreende o não, basta dizê-lo. E, se a criança já for maiorzinha, os pais devem sempre explicar o motivo do não (risco de acidente, proteção da criança, comportamento indesejável, etc.);

– Quando uma criança faz birra ao ser contrariada é porque você não foi assertivo em situações anteriores. Dizer 'não' e depois permitir que a situação indesejada aconteça cria insegurança na criança e é o estopim para que ela procure, em outros comportamentos romper as mesmas ou outras barreiras aparentemente proibitivas;

– Nos casos em que a criança persiste em atitudes inadequadas, mesmo já tendo sido chamada a atenção, deve-se retirá-la da situação indesejada, afastá-la do grupo, colocando-a em um cantinho, no quarto da criança ou em qualquer outro local em que ela se isole do grupo "para pensar" em seu comportamento;

– Bons comportamentos sempre merecem premiação. A maior delas, entretanto, é a atenção daqueles que a cercam, principalmente os pais. Porém, não podemos nos esquecer de que beijar, sorrir, cumprimentar, aplaudir têm o mesmo "significado" que xingar, ralhar, agredir, etc. Para a criança, todas as formas de atenção são altamente desejáveis pelos pequenos;

Todos os pais e mães devem lembrar que a vida é regida por disciplina, regras e limites. Que dizer "não" também traz benefícios e é educativo para que eles convivam bem socialmente no futuro.

Até a próxima,
Dr. Sylvio Renan

Sobre o autor

Dr. Sylvio Renan Monteiro de Barros é autor do livro "Seu bebê em perguntas e respostas - Do nascimento aos 12 meses" e do livro “Pediatria Hoje”|Formado pela Faculdade de Medicina do ABC. Especializações e títulos pela Unifesp/EPM, Sociedade Brasileira de Pediatria e General Pediatric Service da University of California - Los Angeles (Ucla). Atuou por quase 30 anos no Pronto Socorro Infantil Sabará e foi diretor técnico do Hospital São Leopoldo, cargo que deixou para se dedicar ao seu consultório, a MBA Pediatria, e à literatura médica para leigos.

Sobre o blog

O objetivo deste blog é fornecer informações básicas relacionadas à área da pediatria. São abordados, de forma didática, temas que permeiam o universo da saúde da criança, como primeiros cuidados, doenças mais comuns, vacinação e alimentação. Desta forma, não visa receitar qualquer conduta médica, mas sim proporcionar conhecimento para que os visitantes tenham mais autonomia na escolha de um pediatra para seus filhos.

Blog do Pediatra