menu
Topo
Blog do Pediatra

Blog do Pediatra

Categorias

Histórico

Cuidados com os baixinhos nos dias quentes

Dr. Sylvio Renan

04/11/2018 11h00

Ainda não entramos no verão, mas os termômetros já começam a dar sinais do que vem por aí em termos de calor.

No consultório, já começo a receber perguntas das interferências do clima quente nos baixinhos e cuidados que devem receber neste período, que inclusive, já convida para esticadas às praias. Por isso, resolvi destacar aqui partes de um capitulo do meu livro ' Seu bebê em perguntas e respostas', com algumas dicas para as mamães e papais. Confira.

– Idade e horários para o banho de sol Os bebês podem ficar expostos ao sol a partir dos dois meses, em horários de pouca insolação, ou seja, antes das 10h ou após as 17h. Nos horários mais próximos ao meio-dia ocorre um aumento das irradiações, tanto ultravioleta quanto infravermelha, que são danosos para a pele em geral, principalmente para a dos pequeninos. Em curto prazo, essas irradiações podem provocar lesões, inclusive cancerosas. Sendo assim, aconselho ainda, em regiões mais quentes e especialmente no alto verão, o uso de protetores solares para diminuir os efeitos nocivos dos raios que incidem nestes horários de pico. Dê preferência a produtos fabricados especialmente para a pele do bebê.

Importante lembrar que a exposição precisa ser progressiva. Comece com um ou dois minutos ao sol, primeiro nas pernas e aumentando gradativamente a área exposta e o tempo de permanência, até chegar ao corpo todo e aos quarenta minutos diários. O uso de chapéu também é indicado.

– A primeira visita à praia Respeitando todos os itens citados acima, a criança também está liberada para a praia a partir dos dois meses de idade. Porém, outros cuidados muito importantes são necessários, como evitar o contato da criança com a areia e a água do mar, se poluídos, devido ao risco de contaminação.

– A primeira aventura na piscina Não há uma idade mínima para a entrada da criança na piscina, desde que seja realizado com toda a segurança e supervisão do adulto, em piscina inflável e rasa. Já para o ingresso em piscina pública, os cuidados devem ser redobrados, especialmente ao considerarmos locais com maiores riscos de contaminação. Todos os itens citados anteriormente também devem ser considerados.

– Brotoejas de calor Nós, humanos, possuímos glândulas sudoríparas por toda a extensão do corpo. Ao eliminar água (suor) estas glândulas diminuem a temperatura do corpo, refrescando-nos. Nos bebês, no entanto, os dutos destas glândulas ainda não estão totalmente desenvolvidos, fazendo com que o suor fique retido no interior da glândula e provoque pequena reação inflamatória, caracterizada por círculos avermelhados, e que são popularmente chamados de brotoejas. Apesar de não causar nenhum risco, as brotoejas causam incômodo, e para evitá-las é recomendado deixar as crianças com o mínimo de roupas em dias mais quentes e úmidos, assim como dar mais banhos mornos e aplicar loções hidratantes neutras.

Pais, sigam estas regrinhas básicas, e vocês terão férias e fins de semana com menos sofrimento para os baixinhos e menos preocupações para os pais.

Até a próxima,
Dr. Sylvio Renan

Sobre o autor

Dr. Sylvio Renan Monteiro de Barros é autor do livro "Seu bebê em perguntas e respostas - Do nascimento aos 12 meses" e do livro “Pediatria Hoje”|Formado pela Faculdade de Medicina do ABC. Especializações e títulos pela Unifesp/EPM, Sociedade Brasileira de Pediatria e General Pediatric Service da University of California - Los Angeles (Ucla). Atuou por quase 30 anos no Pronto Socorro Infantil Sabará e foi diretor técnico do Hospital São Leopoldo, cargo que deixou para se dedicar ao seu consultório, a MBA Pediatria, e à literatura médica para leigos.

Sobre o blog

O objetivo deste blog é fornecer informações básicas relacionadas à área da pediatria. São abordados, de forma didática, temas que permeiam o universo da saúde da criança, como primeiros cuidados, doenças mais comuns, vacinação e alimentação. Desta forma, não visa receitar qualquer conduta médica, mas sim proporcionar conhecimento para que os visitantes tenham mais autonomia na escolha de um pediatra para seus filhos.