menu
Topo
Blog do Pediatra

Blog do Pediatra

Categorias

Histórico

Visitas a recém-nascidos devem ser rápidas e cheias de cuidados

Dr. Sylvio Renan

25/03/2018 04h00

Algumas regras básicas de etiqueta são fundamentais para evitar que você não seja inconveniente nos primeiros dias de vida do bebê | Foto: iStock

O bebê chegou e logo a ansiedade toma conta dos parentes e amigos que desejam conhecer o novo integrante da trupe, não é mesmo?  Mas, um outro tipo de ansiedade nesse momento também é compartilhado pelos pais, que se preocupam com a exposição do filho e, muitas vezes, não sabem como lidar com as visitas ou quais cuidados devem tomar. Então, vamos lá! Como pediatra, oriento os pais de que até os dois meses de idade do bebê ou até o início das vacinações, visitas devem ser evitadas, pois a criança ainda não possui anticorpos suficientemente desenvolvidos para combater quaisquer agentes infecciosos que poderão estar ao seu alcance.

A maioria das maternidades possui suas próprias regras para a visita aos recém-nascidos. Entre elas está a necessidade de os visitantes estarem plenamente saudáveis, na intenção de proteger mamãe e bebê de infecções e doenças, além da higienização das mãos e a proibição do contato com qualquer odor excessivo. Por isso, fumantes e vaidosos com perfumes devem se preparar para tal situação.

Passados os primeiros meses de vida do bebê e, com as devidas vacinas tomadas, também é importante atentar-se à saúde e bem-estar da mãe, que vivencia período de ansiedade e preocupação quanto a amamentação do filho.  Portanto, visitas em casa que possam atrapalhar a nova rotina da família não serão bem-vindas.

No entanto, há pais que recebem calorosamente seus familiares e amigos para apresentar o bebê. Contudo, mesmo em casas onde a visita é bem-vinda, alguns cuidados devem prevalecer:

Agende as visitas
Pode parecer pouco afetuoso avisar os pais sobre a intenção da visita, mas é extremamente necessário para que a família se organize e informe se é uma boa hora ou não.

Não demore muito
Visitas aos recém-nascidos não devem durar mais que uma hora, sendo tempo suficiente para conhecer o novo membro da família e deixar um abraço carinhoso aos pais. O barulho e a movimentação podem estressar o bebê e, também, a mãe – além de ocasionar problemas como a insônia e a irritabilidade.

Bebê no berço
Colo e bebê são praticamente feitos um para o outro, mas nos primeiros meses esse afago deve vir somente dos pais, avós e tios. Pois, é através do contato físico que as doenças podem ser transmitidas. Mas, tal precaução vale apenas para os primeiros meses, tudo bem?

Saúde em dia
Sempre aconselho os pais que evitem receber visitas de pessoas que estão doentes – seja um simples resfriado ou outros males. As doenças dos adultos, por mais leves que sejam, podem trazer complicações graves para o recém-nascido, que ainda está com o sistema imunológico em desenvolvimento. Portanto, se não estiver bem adie sua visita!

Higiene nunca é demais
Lavar as mãos e manter-se limpo é uma premissa de saúde, mas quando visitamos os recém-nascidos a ideia deve ser ampliada. Mantenha as unhas curtas, as mãos higienizadas e evite o uso de perfumes e cigarros antes e durante a visita.

Além das dicas médicas, sugiro que caso os pais não queiram receber as visitas nos primeiros meses de vida da criança, podem e devem comunicar seus amigos e familiares. Para não soarem ingratos com o carinho, cabe a comunicação amigável como "nosso pequeno ainda é muito frágil, mas assim que estiver mais forte receberá todo o amor e carinho de vocês", tenho certeza que irão entender.

Bebês são frágeis e precisam de cuidado, principalmente, nos primeiros meses de vida. Cabe aos pais protegerem o filho mesmo quando o perigo está no afeto daqueles que convivem com a família. Tudo tem o seu tempo.

Até a próxima,
Dr. Sylvio Renan Monteiro de Barros

Sobre o autor

Dr. Sylvio Renan Monteiro de Barros é autor do livro "Seu bebê em perguntas e respostas - Do nascimento aos 12 meses" e do livro “Pediatria Hoje”|Formado pela Faculdade de Medicina do ABC. Especializações e títulos pela Unifesp/EPM, Sociedade Brasileira de Pediatria e General Pediatric Service da University of California - Los Angeles (Ucla). Atuou por quase 30 anos no Pronto Socorro Infantil Sabará e foi diretor técnico do Hospital São Leopoldo, cargo que deixou para se dedicar ao seu consultório, a MBA Pediatria, e à literatura médica para leigos.

Sobre o blog

O objetivo deste blog é fornecer informações básicas relacionadas à área da pediatria. São abordados, de forma didática, temas que permeiam o universo da saúde da criança, como primeiros cuidados, doenças mais comuns, vacinação e alimentação. Desta forma, não visa receitar qualquer conduta médica, mas sim proporcionar conhecimento para que os visitantes tenham mais autonomia na escolha de um pediatra para seus filhos.